Contato

Nome da fundação: Stichting The Pearl of Mozambique
Número de Pessoa Jurídica: 85050324 | Registo Câmara de Comércio e Indústria: 20156270
Sede: Duivelsbruglaan 50 em Breda, Países Baixos

Contato:
Tel: +31612770519
E-mail: info@pearlofmozambique.com
Website: www.thepearlofmozambique.com

Conta Bancária.: 1499.93.099 (Rabobank)   Iban: NL86RABO0149993099 Bic:RABONL2U

Conselho de administração:
Marjanne Stam (Presidente)
Paul Stam (Tesoureiro)
Robert Stam (Secretário)
Hugo Stam
Marjon van Burken

 

Objetivo da Pearl of Mozambique: melhorar o nível de vida e as condições de vida da população local de Moçambique.
Política de ação: a fundação empenha-se a melhorar o nível de vida e as condições de vida em Moçambique. A fundação angaria fundos através de donativos e de ações. O dinheiro assim obtido é administrado pelo Conselho da fundação e é aplicado em diversos projetos da fundação (ver Projetos). Estes projetos são muito diversos e variam entre o donativo de ambulância holandesas como respetivo transporte e a construção de escolas; tudo com o objetivo de melhorar o nível de vida em Moçambique.

A política de honorários: o Conselho de Administração trabalha de forma voluntária. Os únicos gastos com salários que a fundação tem são os relativos ao pessoal que trabalha na construção das escolas.

Atividades executadas até ao momento são ( encontra na website toda a informação detalhada)
– transporte e implementação de duas ambulâncias holandesas em Moçambique
– construção de duas escolas (quatro salas de aula)
– construção de latrinas
– realização de um centro cultural
– começou-se com um projeto agrário
– donativos de material escolar e produtos desportivos e para a saúde
Responsabilização Financeira: A fundação não tem como objetivo o lucro e trabalha de forma não lucrativa a 100%. Em 2012 angariou-se aproximadamente 25.000€ através de donativos e de várias ações para obter fundos e cada cêntimo foi bem gasto na população de Moçambique. 25% deste montante foi gasto no transporte das ambulâncias, na formação para estas e no material extra. Depois, 50% foi usado para a construção de duas escolas, a formação da população local e numa máquina de tijolos. O dinheiro restante foi contabilizado para o exercício financeiro do ano seguinte, para projetos futuros. Poderá ler mais detalhadamente sobre este assunto na website.